Formulário de Busca
FG

Guanambi: estudante de Direito é acusado de pedofilia virtual

Segundo a denunciante, o acusado tentou aliciar uma adolescente de 12 anos a praticar atos sexuais, como gravação de masturbação, pedindo para enviá-lo a filmagem.

Publicado em 11/abril/2019 - 16:00

Um estudante de Direito, residente em Guanambi, está sendo denunciado na internet por prática de pedofilia virtual. A denúncia foi feita através da rede social Twitter, por uma usuária identificada pelo perfil @AgBalfe, ela diz ser amiga da irmã da vítima, uma adolescente de 12 anos.

 Segundo a denunciante, o acusado tentou aliciar uma adolescente de 12 anos a praticar atos sexuais, como gravação de masturbação, pedindo para enviá-lo a filmagem. Ela disse que o suspeito e a vitima se conheceram por meio do jogo virtual free fire e começaram a conversar.

Em contato, através do perfil, a garota não passou mais detalhes. No entanto, as denúncias chegaram a Delegacia da Policia Civil de Guanambi e um policial da unidade, identificado com Arthur Muniz postou no seu twitter pessoal que a equipe de investigação da policia civil de Guanambi está à disposição para investigar as denúncias e pediu para entrar em contato com o órgão.

O acusado é conhecido pelos trabalhos de influenciador digital e fotógrafo.

Crime

A pedofilia na internet constitui crime De acordo com a nova redação (Lei nº 11.829, de 25/11/2008) do Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei nº 8.069, de 13/07/1990), várias atividades relacionadas à produção, difusão e consumo de pornografia infantil são crimes com penas de reclusão entre 1 e 8 anos, além de multa. Além disso, como é o caso citado, a atividade de aliciar crianças, pela internet ou qualquer outro meio, com o objetivo de praticar atos sexuais com elas, ou para fazê-las se exibirem de forma pornográfica, também é crime com pena de reclusão de 1 a 3 anos, e multa.

Por Agência Sertão

Edição:

Comentários

Fretamento

Eventos

Cartaz dos Festejos de Santa Cruz em Malhada

Cartaz dos Festejos de Santa Cruz em Malhada

Enquete

CBR
© 2010-2018 Folha do Vale - Todos os direitos reservados