Formulário de Busca
FG

Município de Malhada aparece na lista das cidades com água contaminada por agrotóxicos

O município de Malhada, no sudoeste da Bahia, aparece na posição 159 em uma lista com água contaminada por agrotóxicos, no sábado(20).

Publicado em 22/abril/2019 - 07:20

O município de Malhada, no sudoeste da Bahia, aparece na posição 159 em uma lista com água contaminada por agrotóxicos, no sábado(20). Os testes realizados pelas empresas de abastecimento de municípios brasileiros mostram que cidades consomem um perigoso coquetel com 27 agrotóxicos encontrados na água utilizada pela população.

De acordo com informação do Jornal Correio, apesar de Malhada aparecer na lista das cidades com água contaminada, os municípios que estão no topo são Mucugê, na Chapada Diamantina, Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), Itapetinga, Centro Sul, e São Félix do Coribe, no Oeste.

No caso de Malhada, o portal Folha do Vale apurou que o número encontrado na água  agrotóxicos na água pode ter relação direta com as plantações de banana, mamão e pimenta.

A ONG Repórter Brasil, da Agência Pública e da organização suíça Public Eye, os dados dizem respeito ao período entre 2014 e 2017. As informações são parte do Sistema de Informação de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (Sisagua) do Ministério da Saúde. O estudo detectou em 1.396 municípios no país todos os 27 pesticidas. 

Saúde em alerta


As intoxicações por agrotóxico, em casos graves, podem até gerar coma, parada cardíaca, hemorragia ou perda da visão. Na Bahia, o problema é tratado como uma questão de saúde pública, já que está entre os oito estados do Brasil em consumo do produto.

Os defensivos agrícolas possuem diversos níveis de intoxicação, que podem variar de acordo com a quantidade do produto e tempo de exposição a ele.

O Ministério da Saúde alerta que os venenos podem entrar no corpo por meio de contato com a pele, mucosas, respiração ou ingestão. Os sintomas mais comuns logo após a exposição são mal-estar, dor de cabeça e cansaço. Nos casos mais graves, pode se identificar lesões de pele, tonturas, dificuldade respiratória, podendo ocorrer coma e morte.

Os agroquímicos também podem desenvolver problemas crônicos, que aparecem após algum tempo, como distúrbios como irritabilidade, ansiedade, alterações do sono e da atenção, depressão; dor de cabeça, cansaço, alergias de pele e respiratórias, problemas neurológicos e até alguns tipos de câncer.

O bioquímico Luciano Costa destaca que a presença dos agrotóxicos na água acima do nível permitido pelo Ministério da Saúde pode provocar diversas doenças.

“Funciona como o efeito radioativo, ele vai acumulando no organismo. Ou seja, você pode ter problemas mais graves no futuro quando consome esse tipo de material”, disse.

Ele destacou que quanto maior a quantidade ingerida e o tempo de exposição, piores são os sintomas e as consequências para a saúde.

“Não é que a pessoa de imediato vai ter câncer, mas como algumas substâncias são cancerígenas, quando há uma grande exposição, os riscos aumentam”, explicou.

A Pública – Agência de Jornalismo Investigativo – e ONG Repórter Brasil, que pesquisaram os dados de contaminação da água, são organizações especializadas em jornalismo investigativo fundadas em 2011 e 2001, respectivamente. A Pública foi o terceiro veículo de comunicação brasileiro mais premiado em 2016 e já conquistou os principais prêmios de Jornalismo do Brasil a exemplo do Tim Lopes, Petrobras e Vladmir Herzog.

Redação www folhadovale.net-via Correio

Edição:

Comentários

Fretamento

Eventos

Prefeitura de Candiba divulga atrações do São João de Pilões

Já no último dia, a Banda Calcinha Preta, Tino do Acordeon, Fann Estourado, e Marcondes e Tiago comandarão a festa.

Enquete

Você votaria hoje em quem para prefeito de Candiba?







Resultado parcial

CBR
© 2010-2018 Folha do Vale - Todos os direitos reservados